Jornalista mexicano que escreveu sobre crime encontrado decapitado

Um jornalista mexicano que escreveu sobre o crime no violento estado da Costa do Golfo de Veracruz foi encontrado decapitado na quarta-feira, informou a mídia local, o mais recente assassinato macabro de um repórter em uma das nações mais perigosas do mundo para jornalistas.

O corpo de Julio Valdivia, 44 anos, especializado no jornalismo “nota roja” que tem como foco o crime e a violência hediondos, foi encontrado no remoto município de Tezonapa, a cerca de 100 quilômetros da capital do estado, Veracruz.

Um funcionário do jornal local Diario El Mundo, de Valdivia, em Veracruz, disse inicialmente que suspeitava-se que Valdivia poderia ter sido atropelado por um trem, mas isso foi descartado pelo ministério público.

“Valdivia foi encontrada perto dos trilhos do trem, decapitada e torturada”, disse o funcionário do jornal, que não quis ser identificado.

El Universal e vários outros meios de comunicação locais informaram que Valdivia foi decapitado, a quarta morte de jornalistas no México este ano. Em 2019, cerca de metade de todos os assassinatos de jornalistas em todo o mundo ocorreram no México, de acordo com o Comitê de Proteção aos Jornalistas.

Um grupo de proteção da mídia local conhecido como CEAPP disse em um comunicado que Valdivia não tinha medidas extras de proteção, pois não havia relatado enfrentar ameaças à sua segurança. Mas o grupo exigiu que as autoridades “esclarecessem” o assassinato.

(Reuters)