Israelenses protestam contra Primeiro Ministro apesar do bloqueio

Dezenas de milhares de israelenses se manifestaram em centenas de locais em Israel contra o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, avançando com sua campanha contra o líder israelense na noite de sábado depois que o governo proibiu grandes manifestações centralizadas como parte de um novo bloqueio de coronavírus.

Os manifestantes têm se reunido em frente à residência oficial de Netanyahu em Jerusalém há mais de três meses, exigindo sua renúncia. Depois de impor um segundo bloqueio em todo o país para deter um surto de coronavírus, o governo aprovou na semana passada uma regra que permite que as pessoas protestem apenas a um quilômetro (0,6 milhas) de sua casa. Embora Netanyahu tenha dito que as restrições são motivadas por questões de segurança, os manifestantes o acusam de apertar o bloqueio para amordaçar o movimento.

Os manifestantes dizem que Netanyahu não deveria servir como primeiro-ministro quando for julgado por acusações de corrupção e o acusam de estragar a crise do coronavírus no país, que devastou a economia. Muitos dos manifestantes são jovens israelenses que perderam seus empregos.

Israel recebeu elogios na primavera passada quando agiu rapidamente para selar suas fronteiras, fechou muitos negócios e impôs ordens rígidas para ficar em casa. Mas em maio, as autoridades abruptamente reabriram a economia e retiraram quase todas as restrições. O número de casos disparou desde então.

(AP)

Categorias:Mundo

Marcado como:, ,