Governo espanhol impõe estado de emergência em Madri, atingida pelo vírus

O governo da Espanha declarou estado de emergência em Madri na sexta-feira, retirando o controle dos esforços para combater a disseminação do COVID-19 das autoridades locais em uma região que está experimentando um dos surtos de coronavírus mais significativos da Europa.

As medidas do governo central proíbem todas as viagens não essenciais para dentro e fora da capital e nove de seus subúrbios, afetando cerca de 4,8 milhões de pessoas. Os restaurantes devem fechar às 23h e as lojas às 22h. Ambos devem limitar a ocupação a 50% de sua capacidade.

O governo nacional ordenou que a polícia de Madri multasse as pessoas se elas deixassem seus municípios sem justificativa. Mais de 7.000 policiais serão destacados para garantir que as restrições sejam observadas, disse o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska.

Mas o governo conservador regional de Madri se opôs a essas restrições, dizendo que eram draconianas e prejudicavam a economia. A presidente regional de Madri, Isabel Díaz Ayuso, disse que suas próprias medidas mais moderadas foram suficientes para combater o COVID-19.

Na quinta-feira, um tribunal de Madri acatou o apelo do governo regional, dizendo que a imposição de restrições pelo governo nacional violava as liberdades fundamentais das pessoas. A briga ocorreu em um cenário de diferenças políticas: o governo nacional da Espanha é liderado pelo Partido Socialista de centro-esquerda, enquanto a região de Madrid é administrada pelo principal partido de oposição do país, o conservador Partido Popular.

(AP)

Categorias:Europa

Marcado como:,