Resíduos da construção do muro na fronteira com o México são vendidos no mercado negro

O Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA está investigando as alegações de que trabalhadores despejaram ilegalmente resíduos da construção do muro na fronteira com o México, onde o metal está sendo vendido no mercado negro.

Equipes do lado da fronteira do Arizona demoliram as barreiras de metal preenchidas com concreto que antes marcavam a fronteira internacional em vários locais. Os operários da construção “jogam o metal em nossa direção”, disse Julio Espinoza ao jornal. “Nós pedimos e eles jogam em nossa direção. Então, pegamos e vendemos. Não temos emprego por causa do coronavírus no México, então é onde ganhamos dinheiro para sustentar nossas famílias ”.

Espinoza disse que ele e outros juntam qualquer coisa para vender aos depósitos de sucata na cidade fronteiriça de Sonoyta, localizada na fronteira com Lukeville, Arizona. As empresas americanas não estão autorizadas a despejar resíduos de demolição e construção além das fronteiras internacionais, de acordo com o estado do Arizona. Os homens e mulheres em busca de metal disseram que o despejo não é controlado há meses.

(AP)

Categorias:Américas

Marcado como:,