Pintura é devolvida após 87 anos nazistas terem roubado de uma família judia em Berlim

Décadas depois que nazistas saquearam obras de arte de uma família judia que fugia da Alemanha em 1933, uma pintura foi devolvida aos legítimos herdeiros.

A pintura de dois jovens patinadores, “Winter” do impressionista americano Gari Melchers,foi uma das mais de 200 obras de arte apreendidas pelos nazistas quando a família Mosse fugiu de sua casa.

A rica família de Berlim se manifestou contra a ascensão dos nazistas no início de seu jornal, “Berliner Tageblatt”. A atenção negativa rendeu aos Mosses a ira dos nazistas, que criticaram publicamente a família e mais tarde saquearam sua extensa coleção de obras de arte.

Após 87 anos, “Winter” foi devolvido aos herdeiros na quinta-feira em uma cerimônia de repatriação no escritório do FBI em Albany, Nova York.

O regime nazista roubou milhares de peças de arte de famílias judias durante as 1930 e 1940, ou forçou os proprietários a vendê-las por uma fração de seu valor enquanto os proprietários fugiam do país. Um banco de dados de artefatos saqueados inclui mais de 25.000 objetos, mas especialistas dizem que o número de peças roubadas é muito maior.

Rudolf Mosse foi um proeminente editor da conhecida família. Ele comprou a pintura – também conhecida como “Patinadores” e “Neve” – diretamente do artista em 1900 na Grande Exposição de Arte de Berlim.

Mosse morreu em 1920 e a coleção de arte e publicações da família foram passadas para sua filha quando sua esposa morreu em 1924, de acordo com documentos do tribunal federal.

Quando os nazistas chegaram ao poder, a família foi para os Estados Unidos. Mal sabiam eles, “Winter” também, disse Bacon.

A pintura passou por várias pessoas antes do empresário Bartlett Arkell comprá-la de uma galeria proeminente em 1934. Não havia evidência de Arkell saber que a pintura havia sido roubada, disse Bacon.

Desde 1934, a pintura está no Museu Arkell em Canajoharie, Nova York.

Quando o museu soube que a pintura foi levada ilegalmente, entregou a arte ao FBI em 2019.

A pintura agora é da Fundação Mosse, que representa os herdeiros restantes da Felicia Lachmann-Mosse, única filha de Rudolf.

(CNN)