Luxshare, fornecedor da Apple, irrita Foxconn à medida que disputa EUA-China acelera mudanças na cadeia de suprimentos

O principal fabricante do iPhone, a Foxconn, com sede em Taiwan, criou uma força-tarefa para se defender da crescente influência da fabricante chinesa de eletrônicos Luxshare, que acredita representar uma séria ameaça ao seu domínio, disseram três fontes com conhecimento do assunto.

O projeto foi iniciado pelo fundador da Foxconn, Terry Gou, de acordo com uma das fontes, para atingir a Luxshare, que é pouco conhecida internacionalmente, mas está prestes a se tornar a primeira empresa sediada na China continental a montar iPhones – um território até agora dominado por fabricantes taiwaneses.

A força-tarefa, que as fontes dizem ter sido criada no ano passado, tem olhado para a tecnologia da Luxshare, plano de expansão, estratégia de contratação e se a empresa – que atualmente produz apenas 5% da receita da Foxconn – é apoiada por qualquer entidade do governo chinês.

Embora a guerra comercial EUA-China e a crise do coronavírus tenham intensificado a pressão sobre as cadeias globais de fornecimento, uma disputa tecnológica cada vez mais aciramiosa entre os gigantes econômicos também levou Pequim a fortalecer os esforços na criação de empresas de tecnologia locais líderes mundiais – e a trajetória de crescimento da Luxshare se encaixa nesse molde.

Duas das fontes familiarizadas com a Foxconn disseram que Luxshare também estava ativamente buscando tirar profissionais da Foxconn. Em um caso, disse uma das fontes, a Luxshare ofereceu 500.000 yuan (US$ 75.009) em dinheiro antecipadamente como subsídio de realocação para um funcionário sênior da Foxconn mudar a família de Taiwan para a China.

(Reuters)

Categorias:Mundo, Tecnologia

Marcado como:, ,