China retalia contra mídia em última disputa com EUA

A China ordenou que seis meios de comunicação norte-americanos arquivem informações detalhadas sobre suas operações no país, o mais recente confronto em uma batalha de meses com o governo Trump.

Um comunicado do Ministério das Relações Exteriores emitido na segunda-feira exigiu que as agências ABC, The Los Angeles Times, Minnesota Public Radio, Bureau of National Affairs, Newsweek e Feature Story News declarassem informações sobre seus funcionários, finanças, operações e imóveis na China dentro de sete dias.

O anúncio veio cinco dias depois que o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que seis meios de comunicação chineses teriam que se registrar como missões estrangeiras, o que exige que eles apresentem informações semelhantes ao governo dos EUA.

Os seis foram o terceiro grupo de mídia chinesa necessário para fazê-lo este ano. Cada vez, a China tem respondido forçando um número semelhante de mídia dos EUA a informar sobre suas operações.

O comunicado do ministério disse que a China foi obrigada a dar o passo “em resposta à opressão irracional que as organizações de mídia chinesas experimentam nos Estados Unidos”.

Pompeo, ao fazer seu anúncio, disse que a mídia chinesa é estatal ou controlada, e que os EUA querem garantir que “os consumidores de informação possam diferenciar entre notícias escritas por uma imprensa livre e propaganda distribuída pelo Partido Comunista Chinês”.

(AP)

Categorias:Mundo

Marcado como:, ,