Estoques de petróleo bruto da Venezuela aumentam à medida que as exportações caem

Os estoques de petróleo bruto no principal terminal de exportação de petróleo da Venezuela, Jose, atingiram seus níveis mais altos desde agosto, à medida que os clientes se afastam da companhia petrolífera estatal Petroleos de Venezuela devido às sanções dos EUA, mostrou um documento visto pela Reuters na segunda-feira.

Os níveis de armazenamento em José atingiram 11,8 milhões de barris até sábado, mais que o dobro dos 5,6 milhões de barris registrados um mês antes, e apenas 3 milhões de barris estavam disponíveis. O aumento dos estoques, juntamente com a queda nos tanques de armazenamento disponíveis, poderia forçar a PDVSA a reduzir a produção bruta como fez no início deste ano.

O salto vem antes de um prazo estabelecido pelos Estados Unidos para as poucas companhias petrolíferas que ainda negociam com a PDVSA – incluindo a Repsol SA., Eni SpA, da Itália, e Tipco Asphalt – para acabar com tais negócios.

Washington sancionou a PDVSA no ano passado como parte de sua tentativa de destituir o presidente venezuelano Nicolas Maduro, que é acusado de violações dos direitos humanos e de fraudar sua reeleição em 2018.

As exportações de petróleo bruto da Venezuela saltaram em setembro, quando os clientes de longo prazo da PDVSA correram para importar petróleo antes do prazo, permitindo que a empresa impulsionasse a atualização de petróleo bruto nas instalações da Sinovensa e Petropiar em Jose, operadas conjuntamente com a chinesa CNPC e a Chevron Corp., com sede na Califórnia.

(Reuters)