Kremlin quer contagem final de votos nas eleições dos EUA antes de parabenizar alguém

O Kremlin disse na segunda-feira que esperaria pelos resultados oficiais da eleição presidencial dos EUA antes de comentar o resultado, e que havia notado o anúncio de Donald Trump sobre contestações legais relacionadas à votação.

O presidente Vladimir Putin permaneceu em silêncio sobre o assunto desde que o democrata Joe Biden conquistou a presidência no sábado, quatro dias após a eleição de 3 de novembro, limpando o limite de 270 votos do Colégio Eleitoral necessários para ganhar a Casa Branca.

Na corrida para a votação, Putin parecia evitar suas apostas, franzindo a testa para a retórica anti-russa de Biden, mas recebendo bem seus comentários sobre o controle de armas nucleares. Putin também defendeu o filho de Biden, Hunter, contra as críticas de Trump.

Falando a repórteres em uma teleconferência, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse na segunda-feira que Moscou achou melhor esperar antes de parabenizar alguém.

“Achamos apropriado esperar pela contagem oficial dos votos”, disse Peskov.

Questionado sobre por que em 2016 Putin deu os parabéns a Trump logo depois que ele ganhou o Colégio Eleitoral e derrotou a democrata Hillary Clinton, Peskov disse que havia uma diferença óbvia desta vez.

“Dá para ver que existem certos trâmites legais que foram anunciados pelo atual presidente. É por isso que as situações são diferentes e, portanto, achamos adequado aguardar um anúncio oficial ”, disse Peskov.

Ele observou que Putin disse repetidamente que estava pronto para trabalhar com qualquer líder dos EUA e que a Rússia esperava poder estabelecer um diálogo com um novo governo dos EUA e encontrar uma maneira de normalizar as relações bilaterais problemáticas.

“O presidente Putin disse repetidamente que mostrará respeito por qualquer escolha que o povo americano fizer”, disse Peskov.

Os laços de Moscou com Washington caíram para níveis pós-Guerra Fria em 2014, quando a Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia. Biden estava servindo como vice-presidente do presidente Barack Obama na época.

As relações azedaram ainda mais com as alegações dos EUA de que Moscou se intrometeu na eleição presidencial de 2016 para tentar inclinar a votação a favor de Trump, algo que o Kremlin negou.

(Reuters)

Categorias:Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.