Arauz garante vaga em 2º turno presidencial do Equador e aguarda definição de rival

O economista Andrés Arauz se preparava nesta segunda-feira para configurar sua campanha para o segundo turno da eleição presidencial do Equador, enquanto espera a definição do oponente em uma disputa voto a voto entre um ativista indígena e um banqueiro.

A corrida entre o líder antimineração Yaku Pérez e o candidato pró-mercado Guillermo Lasso pelo segundo lugar continua muito acirrada, e por isso as autoridades eleitorais ainda não se pronunciaram. Com boa parte dos votos já contabilizada, a diferença a favor de Pérez é de menos de meio ponto percentual.

© Reuters/SANTIAGO ARCOS Candidato à Presidência do Equador Andres Arauz

O resultado obtido por Pérez marca a melhor participação de um candidato presidencial indígena e deixa em aberto uma disputa que, durante meses, foi definida pelo choque de propostas de livre mercado e de medidas de cunho socialista.

Os dados desta segunda-feira do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) mostram que, com 97,56% de apuração concluída, Arauz tem 32,20% dos votos, Pérez tem 19,80% e Lasso soma 19,60%.

A partir da noite de domingo, Pérez e seus seguidores iniciaram uma vigília diante de um hotel de Quito em que as autoridades eleitorais contavam os votos, e circularam acusações de que uma suposta fraude eleitoral poderia deter seu avanço para o segundo turno de 11 de abril.

“Parece que a intenção é nos deixar no terceiro lugar, queremos convidá-los a ficar atentos, a nos erguer, a nos mobilizar”, disse Pérez na madrugada desta segunda-feira. “Defendamos o voto, vamos à resistência”.

Pérez acrescentou que pedirá a abertura de várias urnas para uma recontagem de votos.

De sua parte, Lasso disse em um comício de comemoração em sua cidade natal de Guayaquil durante a noite de domingo que espera que a autoridade eleitoral conclua a apuração para “reconfirmar” que ele está no segundo turno.

Arauz, de 36 anos e protegido do ex-presidente Rafael Correa, prometeu pagamentos equivalantes a 1 mil dólares em dinheiro a um milhão de famílias assim que assumir o cargo e disse que ignorará um acordo de financiamento de cerca de 6,5 bilhões de dólares do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Já Lasso se prontificou a estimular a economia com um aumento do investimento estrangeiro para gerar milhares de postos de trabalho e reduzir impostos.

Pérez espera proteger os rios da mineração e se comprometeu a equilibrar as finanças públicas recuperando os fundos que classifica de “roubados” em governos anteriores.

(Por Alexandra Valencia e Brian Ellsworth – Reuters)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.