França reforça medidas nas escolas contra cepas brasileira e sul-africana

As novas cepas do coronavírus, mais resistentes e contagiosas, podem gerar uma nova onda epidêmica na França e representam uma ameaça às campanhas de vacinação. Na tentativa de controlar o avanço das variantes da Covid-19, que os epidemiologistas acreditam que serão majoritárias em março ou abril, o país anunciou um novo reforço no protocolo sanitário nas escolas. 

O Ministério da Educação anunciou que as classes serão automaticamente fechadas se um aluno for contaminado pela variante sul-africana ou brasileira. Atualmente, na região parisiense, mais de 250 classes estão fechadas por conta de casos da Covid-19: pelo menos 50 em Paris, 77 em Versalhes e 119 em Créteil.

Todos os alunos e professores serão testados e deverão ficar dez dias de quarentena, contra sete no caso das outras cepas. A medida também vale para uma criança que tenha estado em contato com essas variantes, seja através de amigos ou familiares. 

As máscaras caseiras de tecido também foram proibidas nas escolas francesas. Os estudantes do ensino fundamental e médio agora terão de usar máscaras cirúrgicas descartáveis, consideradas mais eficientes para barrar a transmissão do coronavírus. 

O governo também pretende fazer campanhas de rastreamento nas escolas utilizando testes de saliva, aprovados recentemente pelas autoridades sanitárias do país. O Ministério da Saúde detectou até agora quatro casos da variante brasileira no sul do país, mas é o cepa sul-africana que causa mais preocupação pela falta de dados sobre sua circulação no território francês.

Para evitar um novo lockdown, o governo francês aposta no recesso escolar de fevereiro, que começou nesta segunda-feira (8) em várias regiões e deve durar duas semanas. Na região parisiense, as férias começam neste sábado (13).

“As próximas semanas serão decisivas”, disse o epidemiologista Arnaud Fontanet, membro do comitê cientifíco criado pelo governo para ajudar na gestão da epidemia, ao canal de TV BFMTV, nesta segunda-feira (8). “A cepa britânica vai determinar quais serão as próximas medidas”, reitera.

Casos de novas cepas disparam em três semanas

Em 27 de janeiro, o número de casos detectados das novas cepas, principalmente a britânica, chegava a 14%, contra 3,3% de casos positivos em 7 e 8 de janeiro. Para acompanhar sua evolução no território, todos os testes PCR positivos deverão ser analisados com uma técnica que permite detectar a presença possível das três variantes, segundo a Direção Geral da Saúde.

Fora de controle, a cepa britânica poderia levar a um aumento descontrolado do número de casos e a uma retomada da epidemia da Covid-19, de acordo com o virologista francês Bruno Lina, que coordena a vigilância epidemiológica em torno das cepas. “Por enquanto, o cenário não é excessivamente sombrio, ainda temos a possibilidade de controlar esse vírus”, afirma.

A situação preocupa os profissionais da saúde, principalmente porque o governo fez uma aposta arriscada ao decidir não decretar, por hora, um novo lockdown. “O governo preferiu preservar a economia, a educação e o social, porque todos estão exaustos com essa repetição de lockdowns”, afirma Fontanet. “Se funcionar, tudo bem, mas se a partir de um momento constatarmos que a epidemia continua progredindo, uma hora ou outra precisaremos adotar medidas mais rígidas”, salienta

“A epidemia estacionou em um nível elevado”, argumenta o epidemiologista Antoine Flahault ao canal BFMTV. Para ele, a estratégia adotada pelo governo francês é “extremamente perigosa.” Ele defende a adoção de um lockdown imediato, com o fechamento das escolas, por um período limitado.

(RFI Brasil com informações da AFP)

Categorias:Brasil, Europa, Mundo

Marcado como:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.