Ataques de Israel após Hamas lançar foguetes

A escalada de violência entre palestinos e israelenses deixou pelo menos 20 mortos, incluindo nove crianças, nesta segunda-feira (10), informaram as autoridades de Saúde na Faixa de Gaza.

O número de vítimas representa um dos dias mais sangrentos em vários anos de confrontos. Nesta noite, novos ataques foram registrados e, segundo um porta-voz militar, o Exército de Israel iniciou uma ofensiva contra alvos terroristas em Gaza.

Segundo as autoridades de Israel, pelo menos 150 foguetes foram lançados pelo grupo palestino Hamas, sendo que dezenas destes foram interceptados pelo sistema de defesa Iron Dome sem deixar vítimas.

“As organizações terroristas cruzaram a linha vermelha no Dia de Jerusalém e nos atacaram, nos arredores de Jerusalém”, disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em um discurso no final da noite.

“Israel responderá com muita força. Não toleraremos ataques em nosso território, nossa capital, nossos cidadãos e nossos soldados. Quem nos atacar pagará um alto preço”, disse ele, acrescentando que “Israel responderá com força massiva”.   

Nesta tarde, palestinos dispararam foguetes contra Jerusalém e o sul de Israel, ameaçando punir o território pelos violentos confrontos na Cidade Sagrada, o que elevou a tensão na região.   

Os Estados Unidos chegaram a expressar preocupação com a escalada de violência entre israelenses e palestinos e exigiram que o Hamas pare de lançar foguetes contra Israel.   

“As duas partes devem desescalar, reduzir as tensões, dar passos práticos para acalmar as coisas”, alertou o secretário de Estado americano, Antony Blinken.   

Antes disso, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaky, já havia informado que o governo de Joe Biden condena o lançamento de foguetes na região. A União Europeia, por sua vez, afirmou que “o aumento significativo da violência na Cisjordânia ocupada, Jerusalém Oriental, na Faixa de Gaza e nos arredores, deve parar imediatamente”.

Segundo o porta-voz do serviço de ação externa da UE, “o lançamento de foguetes de Gaza contra populações civis em Israel é completamente inaceitável”. “Todos os líderes têm a responsabilidade de agir contra os extremistas. O status quo dos lugares sagrados deve ser totalmente respeitado”, finalizou. *Agências internacionais
   

Categorias:Mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.